IEspiritualidade , um convinte a intenção....


No mundo de hoje, mesmo com tantas tecnologias e opções , estamos ainda buscando o mesmo que nossos antecessores buscavam - a tal FELICIDADE ou em modernas palavras -  VIDA com PROPÓSITO.

Nossa busca não é permeada por  comida, dinheiro, sucesso, status, segurança ou sexo. Na verdade passamos por todas essas coisas repetidamente milhões de vezes e  insanamente continuamos sofrendo, infelizes. Nos sentimos incompletos como se um buraco nos habitasse.Um  buraco , às vezes muito obscuro. Isso acontece porque a maioria das pessoas vive como se a espiritualidade fosse opcional. Como se somente houvesse vida fora, vida de matéria.

A forma como você enxerga a vida fora  é uma consequência do que você já sabe que existe  dentro de você. Ou seja a gente está o tempo todo relacionando algo de dentro com algo de fora. Mas se você não tem nada dentro, ou melhor nada que você saiba, você fica somente com o de fora e aí que começa a confusão.

Eu sei....Dependendo da fase de vida que você esteja vivendo, talvez  feliz e realizado com o emprego ou família , status social , viajando, pode ser que toda essa conversa não faça sentido algum. E tá tudo certo...Eu também já estive  distraída com os encontros de amigos nos finais de semana, a roupa para a festa, a aula de ginástica . E coloquei toda minha energia nessas distrações  externas,  vivendo seus altos e baixos.

Mas chega uma hora em que a falta de dedicação ao seu propósito , à sua espiritualidade, explode   e você sem aviso nenhum e talvez mesmo com tantas coisas bacanas ao seu redor não entenda  porque tá tudo sem graça. Emprego dos sonhos sem sentido, casamento que você nem consegue se lembrar por que casou com aquela pessoa ou festa chata, mesmo no lugar mais incrível do mundo.

E se tanta gente não chegasse nesse ponto, se fossem poucas pessoas, não veríamos tanta gente com depressão, síndrome de pânico, insônia, pessoas que se jogam nas drogas para sentir algo que há muito tempo não sentem.

O mundo interno precisa ser cuidado, precisa ser compreendido e principalmente ouvido. Você precisa entender quem você é, para que veio nesse mundo,  para se sentir completo e útil. E a melhor forma de fazer essa caminhada é nutrindo sua espiritualidade, sua conexão com você e com algo maior.

E pensando sobre esse assunto , um dia durante uma aula de Vedanta , resolvemos perguntar ao grupo, vocês são espiritualizados ? O que fazem durante o dia  para alimentar sua espiritualidade? Foi muito difícil para os alunos contarem quando,  durante o dia conectavam - se a sua espiritualidade.


Por isso faço essa mesma pergunta à você...Durante seu dia, quando você sente que está presente com espiritualidade? 


Para responder à essa pergunta, precisamos entender primeiro o que é espiritualidade....


Seguidamente vemos altares, igrejas, pessoas em meditação, oração. Mas será que isso é espiritualidade?

Para responder à essa pergunta pesquisei várias explicações dadas à ela. E a que mais gostei foi essa:

A espiritualidade pode ser definida como uma "propensão humana a buscar significado para a vida por meio de conceitos que transcendem o tangível, à procura de um sentido de conexão com algo maior que si próprio". A espiritualidade pode ou não estar ligada a uma vivência religiosa.


Para mim soou perfeito! A espiritualidade  se define por propósito, significado, sentido. Ela te acalma porquê nesse mundo onde você nada controla e digo nada ( exceção às suas reações),  existe uma ordem acontecendo que não vem de você e de ninguém que esteja do seu lado. Existe uma energia, um Deus , um oxalá, uma deidade , ou outro nome que lhe faça sentido dando rumo à sua vida e à de todas as outras pessoas . E quando você se conecta internamente com você , você sente essa energia, esse Deus . E aí  quanto mais esse diálogo interno flui e mais camadas vão sendo adentradas, mais as coisas passam a fazer sentido para você. De posse de sua essência você recria esse propósito aqui, no  mundo de fora.

Espiritualidade não é entoar mantra, nem rezar, acender vela . É sim fazer essas coisas e quaisquer outras como lavar o prato, limpar a casa, atender ao cliente, com intenção de a todo momento se conectar à sua essência e colocar seu propósito a serviço dos outros ( e antes que alguém ache isso se define por doação ou caridade, pura inocência dos que assim pensam. Para se cumprir propósitos claros  precisamos da matéria, da energia do dinheiro para concretizar a sua criação. Então tem que se ganhar nesse serviço , e trabalhos voluntários e doações existem sim para serem feitos , mas falaremos  sobre eles  outro dia).

Me lembro de uma história de um mestre que pediu a dois de seus discípulos para fazer 1 mantra para cada folha de uma árvore com o intuito de que alcançassem a iluminação. O primeiro discípulo ia pegando as folhas e mantreando tranquilamente, sem focar em quantas folhas já tinham sido usadas ou quantas faltavam. O segundo ia contando cada folha, quantas tinham feito, quantas ainda viriam e focava na quantidade e não nos mantras que estava fazendo. No final quando o mestre retornou conversou com seus discípulos. Ao primeiro deu poderes e ao segundo questionou que valia tinha fazer algo com tanto pesar, contando cada folha , contando.... Contando e se esquecendo de ver que cada folha tinha uma textura diferente , um tom, tamanho e formato. Que enquanto contava , ali do lado da árvore havia uma vida acontecendo . Um sol que se apresentava todo dia, que tirava os passarinhos da cama, que enxugava o orvalho da manhã. Que aquecia a terra e trazia energia para que novas plantas crescessem. Veja a tarefa foi a mesma, mas a intenção de ambos foi claramente diferente. Um só queria acabar logo para receber o prêmio . O  outro foi vivenciando a tarefa, conectando-se com tudo que acontecia ao seu redor, sem perturbar-se com resultado .

Quem você anda sendo ultimamente? O primeiro ou o segundo discípulo? Na verdade espiritualidade não é sobre o que se faz, mas com qual intenção se faz. Entoar 38.000000 mantras para ter o poder do mantra ou se tornar uma pessoa melhor para se por a serviço do seu propósito. Fazer o jantar por obrigação e bravo ou então cozinhar para alimentar os que ama ou então os que adoram o seu talento? E por aí vamos...

Não é romantizar a vida, na verdade é o extremo oposto. É amar o que tem ser feito, pelo simples fato de que precisa ser feito. É levar a vida com leveza independente da tarefa a ser realizada.

E seguindo a idéia proposta do primeiro texto, aqui vão mais alguns exercícios para você continuar no caminho para descobrir seu propósito....


1. Procure trazer para a consciência as intenções que você tem colocado nas suas tarefas . Entenda o que anda fazendo exclusivamente pelo resultado ou então o que faz com a intenção de servir ao seu propósito e aos outros.


2. Veja que tipo de pensamentos andam circulando em sua mente. Observe se ultimamente você anda mais no modo negativo ou positivo. Mais se colocando no papel de vítima ou de agente da situação.Faça as mudanças necessárias e mantenha-se  mais positivo.


RECORDANDO SOBRE O ÚLTIMO TEXTO SOBRE PROPÓSITO.


Propósito não é algo que se elabora, é algo que se descobre dentro de si .


A vida só tem sentido quando você é guiado pelo seu propósito.


Até o próximo texto, OM Cris

85 visualizações3 comentários

@2019 - Pranidhana Yoga Studio - Cristina Shukla